Follow by Email

domingo, 29 de setembro de 2013

Seleção de frases (28)

        É o governo aumentando os impostos e o povo aceitando tudo... com “cara de taxa”.
                                                       ****                               
        A velhice é o único mal que o tempo não cura.
                                                       ****
        Em todo santo há um demônio acorrentado. Em todo demônio, um santo que fracassou.
                                                       ****                                                               
        Só mesmo o professor para conseguir o prodígio de ganhar tão pouco e não perder a classe.
                                                       ****
        Resolvi não mais adiar minhas deliberações. Mas só a partir de amanhã.
                                                       ****
         O cemitério é um lugar onde o silêncio retumba.
                                                       ****
        Onde há palavras demais, há ideias de menos.
                                                       ****
        Um pouco todo dia faz o milagre.
                                                       ****
        Se a cozinha do restaurante é ruim, dos males o menu.
                                                      ****
        Tudo acontece por acaso, mas isso deve ter uma explicação.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Enfim, as razões (pelas quais desisti da candidatura à APL)

      Amigos têm me ligado perguntando por que desisti de concorrer a uma vaga na academia. Um deles, acadêmico, se mostrou inconsolável. Queria a todo custo me ver lá e perguntou o que poderia fazer para isso.
      – Morra – respondi.  
     Ele parece que não gostou da sugestão.
     Para evitar novas especulações, vou enfim dizer os motivos que me fizeram retirar a candidatura.

      O primeiro é que levo muito a sério o sentido das palavras e me sentiria desconfortável ao ser chamado de “imortal” sem haver, até agora, escrito nada que mereça alcançar a posteridade. Quisera um dia, pela minha produção, fazer jus a esse glorificante epíteto.
   

      O segundo motivo é que eu não ficaria bem de fardão. Fiz um teste em casa vestindo uma velha casaca preta, com fios dourados, que pertenceu a meu bisavô. A família riu da figura, e fiquei imaginando o que diriam meus alunos (quase todos adolescentes) quando no dia seguinte à posse vissem a minha foto no jornal.
 

     O terceiro motivo é que na academia não se serve o chá das cinco. Ao tomar conhecimento disso, fiquei muito cha...teado. Sempre vinculei os meus devaneios de acadêmico a esse fino hábito britânico. Saber que ele não existe (nem às quintas, nem em dia nenhum) deveras me desapontou.

     Ponderadas essas três razões, desisti de uma vez de aspirar à imortalidade.

domingo, 15 de setembro de 2013

Diálogos (12)

- Pai, o professor baixou a nota da minha redação porque usei “mormente” em  vez de “sobretudo”.
- Bem feito! Eu lhe disse para não sair desprotegido nesse tempo frio!

                                                    ****

- Desconfio de que a minha mulher me trai.
- Então trate de segurar as pontas!  

                                                    ****
    O amigo, para o outro:
- Finalmente eu e minha mulher temos alguma coisa em comum.
- O quê?  
- Nosso casamento é um tédio só.

                                                    ****

- O Brasil vai importar médicos de Cuba.
- O medo é eles quererem fazer uma revolução na medicina brasileira!

                                                    ****

- Preciso urgentemente encontrar uma caverna.
- Por quê?   
- O médico quer que eu faça um eco...

Microcontos (2)

                                                            I

         Ele aceitava a separação, mas queria um último encontro. Um só, regado a um bom vinho, para lembrarem os bons momentos que viveram juntos.  Ela achou estranho, mas topou. Se era para se ver livre... 
     Agora, um em frente ao outro, erguem a taça: 
     -- Tim tim.
     Bang! bang!

                                                           II

          O assaltante pediu sua Vuitton. Ela não deu, e levou um tiro fatal. Não hesitara entre a bolsa e a vida.  

                                                          III

         Recebeu convite para um namoro virtual. A mulher se chamava Sigismunda, e não mandava foto. “Que nome”, pensou.
        Mesmo assim, terminou aceitando. O nome não era bonito, mas a parte do corpo que rimava com ele... quem sabe?!