terça-feira, 4 de junho de 2019

Proseando o Português (1) - "eminente" e "iminente"


Depois de um longo tempo, Carlos e Euclides se encontram na praia. Apertam-se calorosamente as mãos, e Carlos convida o amigo a seguir até o fim da orla para botarem a conversa em dia.
- Não dá. Olhe para o céu.
O outro olha: - E daí?
- Não está vendo? A chuva é eminente.
Carlos estranha esse “eminente” e pergunta:
- Como é que você sabe que vem uma chuva superior às outras?
- Não sei se vai ser superior. Sei que é eminente...
Carlos percebera que Euclides trocou os adjetivos; ele queria dizer “iminente”. Tenta com jeito explicar ao amigo a diferença (há pessoas que não gostam de ser corrigidas):
- Eminente é “destacado”, “saliente”. Não tem nada a ver com “iminente”, que significa “prestes a”. Uma coisa iminente está em via de acontecer.
- “Em via”? Eu pensava que era “em vias”...
- Pois aprenda essa também - diz Carlos, rindo. E depois de uma pausa: - Como é, vamos até o fim da calçadinha?
- Não quero arriscar. Mesmo uma chuva fraca pode me fazer mal. Dizem que o chuvisco é até pior... A gente pode se ver depois? 
- Claro. Se você aparecer por aqui toda manhã, estaremos sempre na iminência de nos encontrarmos. 
- Vou lá, então. Já estou sentindo uns pinguinhos... 
- Até a próxima. E saúde! - deseja Carlos, lembrando-se de que já no tempo da escola o amigo demonstrava uma excessiva preocupação com o clima. Cada um com suas manias!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Roubando a cena no Enem